segunda-feira, 19 de março de 2012

Parabens a capoeira Mineira

9 de março de 2012


Salvaguarda da Capoeira

Tema será debatido neste sábado durante encontro com mestres, em Belo Horizonte

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio de sua superintendência em Minas

Gerais, promoverá neste sábado, 10 de março, o I Encontro para a Formação do Conselho de Mestres de

Capoeira da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O evento será realizado a partir das 9h, na

Funarte/MG, localizada no centro da capital mineira, e contará com a participação de 120 mestres de toda a

região.

Desde 2008, a capoeira é patrimônio cultural brasileiro, tendo sido a roda de capoeira inscrita no Livro das

Formas de Expressão e o ofício dos mestres da capoeira, no Livro dos Saberes. Desde então, vem sendo

executado o Plano de Salvaguarda, trabalho conduzido pelo Iphan, por meio do Programa Nacional de

Salvaguarda e Incentivo à Capoeira – Pró-Capoeira.

A Superintendência do Iphan em Minas Gerais tem trabalhado no sentido de inserir os grupos e mestres nos

debates nacionais relativos ao referido Plano de Salvaguarda. Desde junho de 2011 vêm sendo feitas reuniões

mensais com os mestres de capoeira da Região Metropolitana de Belo Horizonte, durante as quais foi demandada a criação do Conselho de Mestres da

RMBH.

No encontro deste sábado serão tratados temas como o Plano de Salvaguarda da Capoeira, a história da Capoeira na capital do estado mineiro, o

histórico da criação e a apresentação do Estatuto do Conselho de Mestres, dentre outros.

Histórico

Depois de dar a volta ao mundo e alcançar reconhecimento internacional, a capoeira se tornou patrimônio cultural brasileiro no ano de 2008, quando o

registro desta manifestação cultural foi votado em Salvador, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan. O conselho é constituído por 22

representantes de entidades e da sociedade civil e delibera a respeito dos registros e tombamentos do patrimônio nacional.

O instrumento legal que assegura a preservação do patrimônio cultural imaterial do Brasil é o registro, instituído pelo Iphan. Uma vez registrado o bem, é

possível elaborar projetos e políticas públicas que envolvam ações necessárias à preservação e continuidade da manifestação.

A divulgação e implementação da capoeira em mais de 150 países muito se deve aos mestres, que tiveram sua habilidade de ensino reconhecida.

Preservação do patrimônio

Entende-se por patrimônio cultural imaterial representações da cultura brasileira como as práticas, as formas de ver e pensar o mundo, as cerimônias

(festejos e rituais religiosos), as danças, as músicas, as lendas e contos, a história, as brincadeiras e modos de fazer (comidas, artesanato e outros, junto

com os instrumentos, objetos e lugares que lhes são associados, cuja tradição é transmitida de geração em geração pelas comunidades.

(Fonte: Iphan/MG)

Região Metropolitana de Belo Horizonte, Iphan/MG, Mestres de capoeira, Patrimônio Cultural Brasileiro, Programa Nacional de Salvaguarda e Incentivo à

Capoeira, RMBH, Salvaguarda da Capoeira

Mai s informações: http://www.cultura.gov.br/
Estamos no aguarde da continuidade positiva deste evento.

Ass: Magrão Capoeira