domingo, 18 de novembro de 2012

Resultado do Pro Capoeira Rio Grande do Sul


FCP realiza Ciclo de Debates Pró-Capoeira no Rio Grande do Sul

terça-feira by Ascom
A Fundação Cultural Palmares (FCP) realizou no último sábado (10), em Porto Alegre-RS, a segunda edição do Ciclo de Debates Pró-Capoeira: Regulamentação, Salvaguarda e Incentivo à Atividade da Capoeira. O evento contou com a presença de cerca de 100 participantes, dentre eles o deputado estadual Raul Carrion (PCdoB-RS), a Superintendente do Iphan no Rio Grande do Sul, Ana Lúcia Goelzer Meira, a representante da Regional Sul do Ministério da Cultura, Carla Ribeiro e dos mestres de capoeira Gavião, Farol, Carson e Ratinho.
A proposta do Ciclo de Debates é contribuir para a salvaguarda e promoção da atividade no Brasil e no Mundo. Para Alexandro Reis, diretor do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro, a preservação desse patrimônio demanda o seu reconhecimento enquanto profissão. “A sua regulamentação se configura como um importante passo para a valorização dos mestres e praticantes que reivindicam tratamento profissional”, explica.
No Senado Federal tramita o Projeto de Lei da Câmara nº 31 de 2009, cujo objetivo consiste justamente no reconhecimento da atividade de capoeira. O referido projeto releva a prática da capoeira como profissão, na sua manifestação como dança, competição ou luta. Segundo Reis, a capoeira é um vetor importante da cultura e pode se tornar também da economia do Brasil.
Segundo o diretor da FCP, a instituição solicitará ainda este ano uma audiência pública para aprofundar os debates e incluir os capoeiristas e mestres tradicionais no processo de discussão. “É necessário definir critérios e ações para que esse projeto avance e seja aprovado”, defende o diretor da FCP.
A representante do MinC, Carla Ribeiro, ressalta também a formação de um Grupo de Trabalho que atuará em prol da salvaguarda e promoção da capoeira no estado do Rio Grande do Sul. Segundo ela, o GT começa a se reunir na segunda semana de dezembro. “O primeiro passo, após reunirmos as entidades de capoeira, é realizar um mapeamento da atividade no estado. Logo após, vamos definir a prioridade de ações e trabalhar para atingir os objetivos estabelecidos”, afirma.
Outra proposta da PL n°31 de 2009 é acrescentar a atividade dentre as estabelecidas na legislação desportiva, elevando o capoeirista, cuja atividade consiste na participação em eventos, à condição de atleta profissional. O documento ainda estipula a necessidade de inscrição na Confederação Brasileira de Capoeira.
O Ciclo é resultado de uma parceria entre a Fundação Cultural Palmares (FCP) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), órgãos vinculados ao Ministério da Cultura (MinC), com a Câmara dos Deputados e conta com o apoio dos Ministérios da Educação (MEC), do Esporte (ME), do Trabalho e Emprego (MTE) e com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir).
fonte: 
http://www.palmares.gov.br/2012/11/fcp-realiza-ciclo-de-debates-pro-capoeira-no-rio-grande-do-sul/